domingo, 8 de abril de 2012

A hora de desistir

Um dia desses eu li uma frase que me causou um grande impacto: “Desistir de tentar pode ser uma atitude inteligente.”

O meu primeiro pensamento foi: como assim? Um incentivo à desistência? Esta frase vai contra os milhares de livros de auto-ajuda e frases motivacionais que dizem que nunca devemos desistir; que quem luta com vontade sempre alcança o que deseja; que nenhum sonho é impossível...

É claro que quem utiliza estas frases de incentivo está coberto de boas intenções, quer apoiar alguém a lutar, a se empenhar para atingir seus objetivos. Muito louvável! Mas será que a esperança realmente não morre nunca? Será que acreditar indefinitamente que alguma coisa vai acontecer ou alguém vai mudar realmente vale à pena?

Tentar sim; ter esperança sim; mas por quanto tempo? Quantos meses ou anos de uma vida devem ser consumidos lutando por alguma coisa que nunca vai acontecer?

Eu sempre fui destas pessoas que sempre acha que tudo vai dar certo (mesmo quando demora muito) mas agora, mais experiente, eu também vejo o outro lado: nem tudo é possível! Nem todo mundo muda (às vezes a pessoa nem quer mudar, apenas nós queremos que ela mude!). Algumas coisas realmente não vão acontecer e não vai mudar nada a gente ficar anos investindo e tendo esperança.

Mas o mais difícil é saber a hora de desistir. Qual é o tempo máximo que devemos investir antes de bater em retirada? Quantas decepções devemos aguentar antes de enxergar que não tem jeito?

Eu já perdi muito tempo persistindo em um trabalho, me dedicando, investindo tempo e dinheiro, acreditando que ia acabar valendo à pena. Já perdi alguns anos acreditando em relacionamentos onde só eu investia e só eu realmente queria. Muitas vezes outras pessoas enxergavam que eu estava investindo o meu tempo e a minha dedicação à toa, mas eu não estava pronta pra enxergar isto.

Estes anos mal investidos não voltam, só servem para nos fazer enxergar que a esperança tem que ter limite!

Nós precisamos conseguir analisar se realmente existem chances de sucesso numa batalha. Investir indefinidamente, ilimitadamente, é prova de persistência, mas também pode ser ingenuidade ou teimosia.

Se alguém trabalha duramente há anos numa empresa, recebendo um salário muito aquém do que merece, e vendo outras pessoas (ou nenhuma) tendo oportunidades, até quando vai continuar esperando? Desiste! Começa a procurar uma empresa que reconheça o teu mérito e esteja disposta a te recompensar pela tua dedicação.

Se está num relacionamento onde já teve que perdoar várias vezes e a pessoa volta a cometer os mesmos erros? Desiste, esta pessoa não está mudando e só vai continuar te fazendo infeliz.

Não sou uma pessoa derrotista, só quero dizer que a gente deve lutar sim, mas de olhos abertos.

A gente deve tentar, investir, esperar, lutar, mas até um certo ponto. A gente tem o direito de desistir sim, e não tem nada de errado nisto. Desistir do que nos faz sofrer ou do que nunca vamos poder alcançar é uma atitude madura de alguém que quer ser feliz.

A nossa vida é muito preciosa pra desperdiçarmos longos períodos com batalhas inúteis.

 

 

5 comentários:

  1. Obrigado por escrever tudo que eu queria dizer.

    ResponderExcluir
  2. Texto incrível! Essa reflexão é extremamente útil. Parabens

    ResponderExcluir
  3. Parabens! era o que eu estava querendo escrever hoje...

    ResponderExcluir